Samba rasgado – Marlene

Ai, ai,
Eu não posso ouvir um pandeiro,
Que corro logo a sorrir pro terreiro,
Marcando o compasso no chão,
Ai, ai,
O meu corpo fica tremendo,
O ritmo vai acendendo,
Um grande braseiro no meu coração.

Ai, ai,
O samba rasgado é de fato,
No morro, no clube ou no palco,
Concorre sempre para vencer,
Eu gosto do samba sincopado,
Mas francamente, sem este ritmo quente,
Tão quente que até queima a gente,
Eu não sinto o menor prazer,
O Brasileiro canta o samba,
Também no mês de fevereiro,
Só se ouve pelas ruas,
É tumba, moleque tumba !
Mas quem nos representa no estrangeiro,
É o samba rasgado Brasileiro.